Invasão Gringa

Alabama Shakes fez show até para o sol em São Paulo

alabamas_editada1Pouco antes das 17h do dia 13 de março, o sol já parecia ter desistido daquele domingo e começava a se esconder atrás das nuvens cinzas que dominavam São Paulo. Mas foi apenas o Alabama Shakes começar seu show para o sol recuperar seu ânimo e pedir espaço no céu paulistano, que ficou azul por quase uma hora, durante a apresentação.

A banda americana foi uma das atrações do Lollapalooza 2016, realizado mais uma vez no autódromo de Interlagos, na capital paulista. E o interesse do público, que massivamente direcionou-se até o palco Onix, onde seria o show, repercutiu bem o atual momento da banda.

Se pouco antes de sua apresentação no festival em solo brasileiro, em 2012, o Alabama vinha de três indicações e nenhuma vitória no Grammy, desta vez o grupo faturou quatro prêmios. Além de um técnico, levou o troféu por ‘Melhor Álbum Alternativo’, ‘Melhor Performance de Rock’ e ‘Melhor Música de Rock’, estes dois últimos com a canção ‘Don’t Wanna Fight’.

A apresentação foi primorosa. Se não foi repleta de refrões fáceis, daqueles que fazem o público pular, o show do Alabama Shakes foi muito intenso. Tecnicamente, a banda mostrou toda sua qualidade e entrosamento. E Brittany Howard, guitarrista e vocalista do Alabama, é impressionante. Além da potência de sua voz, Brittany varia os tons e coloca muita emoção em sua interpretação.

alabama2Foram cinco músicas do primeiro álbum, ‘Boys & Girls’, incluindo os sucessos ‘Hang Loose’ e ‘Hold On’. E outras oito do novo e premiado ‘Sound & Color’. A incrível ‘Don’t Wanna Fight’ foi a penúltima a ser tocada. Ao fim, o Alabama Shakes deixou o palco para não voltar mais, apesar de muitos terem esperado pelo bis. Não houve. E a partir daí o sol desistiu de vez do domingo.