Especial Garimpo Bem Rock

Aposta certa e surpresa do disco para os shows

Um ‘ser vivo’, MAR foi crescendo e se desenvolvendo conforme o FingerFingerrr viajava em turnê. E o duo paulistano acompanhou e aprendeu com sua criatura. Aprendeu o tamanho da força de seu disco, e também que até quando varia seu estilo, o público responde de maneira positiva.

Eu Só Ganho, grande hit e primeiro single de MAR, é a música que, segundo Flavio Juliano, define bem o que é o álbum. ‘Mostra nosso som cru. Nos shows, é uma música que, quando começa a tocar, já tem uma reação das pessoas. É a que tem porrada, bater cabeça, se divertir, cantar junto. Define uma força do disco’, explica o guitarrista e vocalista da banda.

‘Praticamente em todo show que fazemos ela tem essa recepção da galera, de pular, dançar. Não importa em qual cidade, se nos EUA, na Europa ou no Brasil’, continua.

Já Ricardo Cifas destaca outra música de Mar nos shows. Mas não pela mesma força ou porrada nos ouvidos do público, e sim justamente por ter outra pegada. O baterista vê Kanye como uma música hipnotizante e com um impacto diferente, mas ainda assim bem legal, no público.

‘Uma música que, quando a gente gravou e foi tocar ao vivo, não sabíamos o que ia dar. Ela tem uma certa produção e é super lenta. O som do Finger é super agitado, rápido. Mas ela revelou ter um poder hipnotizante muito legal. As pessoas gostam de ver a música’, avalia.