Especial

Autoramas estavam em silêncio? Nem um pouco

autoramas2Os Autoramas pareciam em silêncio. ‘Para muitas pessoas conta mesmo o álbum’, fala Gabriel Thomaz sobre o período sem lançamentos do formato tradicional. Foram quatro anos e meio entre ‘Música Crocante’, de 2011, e ‘O Futuro dos Autoramas’, de março deste ano.

O vocalista da banda, porém, rebate a tese de silêncio. ‘A gente testou muitas coisas’, explica, citando a experiência com EPs. ‘Vimos que muitos artistas estavam fazendo e resolvemos lançar um. Foi uma experiência interessante. Mas a gente sempre ouve isso, “o último disco de vocês”. Mas a gente aprendeu. Um EP não conta’.

Além de EPs, os Autoramas também lançaram outro formato tradicional. ‘A gente fez muito compacto nesses tempos, um single de cada lado’, diz Gabriel, para completar com uma situação curiosa. ‘A galera mais novinha perguntava “só tem desse pequenininho”? As pessoas já não contam compacto como vinil. Para muitas pessoas conta mesmo o álbum.’

A banda foi além e trabalhou diretamente com um produtor da Alemanha no período em que ‘O Futuro dos Autoramas’ estava no forno. ‘Lançamos um álbum especial. Uma playlist de várias épocas. O cara do selo alemão escolheu e ficou um repertório diferente’, explica Gabriel sobre o disco lançado em 2015.

‘O Futuro’ é o sexto álbum de estúdio do grupo, o primeiro com a nova formação, com Gabriel, Érika Martins, Melvin Ribeiro e Fred Castro. Descontando os outros trabalhos, o hiato entre um álbum e outro, de quase cinco anos, é o maior na carreira dos Autoramas.