Garimpo Bem Rock

Cafe Republica agora quer apenas química musical

cafe_450editada4A química continua presente no Cafe Republica. Pelo menos para dois dos quatro integrantes que se conheceram num curso técnico no Rio de Janeiro. Mas, no futuro, o desejo é o mesmo para todos: ‘largar tudo e entrar na música de cabeça’, como explica Juca Sodré.

O baixista, ao lado do guitarrista Ygor Xavier, são os dois que continuam trabalhando na área química. Já Octavio Peral, voz e guitarras, e Anderson Ferreira, teclado, sintetizador e voz, foram para a área de comunicação, cinema e publicidade. Já o baterista Barbanjo Reis, que entrou depois da união dos quatro estudantes de química, mantém sua pegada em produção musical.

Juca conta que o grupo agora está focado em shows e promoção do EP Ludere Occultant, lançado em julho (2016), mas junto com um planejamento para o início de 2017. ‘Agora vamos trabalhar mais o EP. Temos uns lançamentos audio-visuais pela frente. Mas também já estamos planejando um próximo disco sim’, conta. A ideia é lançar no início de 2017.

Cariocas, o Cafe Republica busca novas frentes também para fazer shows. ‘Aqui no Rio é meio bravo. Acaba ficando repetitivo e os lugares estão se esvaindo. Estamos procurando outros lugares e outras cidades. A gente vê São Paulo, por exemplo, como um grande mercado’, conta Juca.

O músico ainda mostra seu apoio ao projeto do Camelo Azul, grupo de gestão cultural e gravadora de música autoral no Rio. ‘A gente enxerga esse estúdio como o berço do que vai o nosso disco e da galera que pode vir junto nesse movimento’, relata.