Especial

Curtindo, Paulão prepara despedida e o futuro

paulao_editada5O que virá no futuro ainda está em uma nuvem de ideias. O passado recente esteve ‘meio deprê’. Mas o presente ainda tem sido de diversão com a turnê de ‘Garçons do Inferno’ e os ‘Workchopps’. ‘Basicamente o que tenho feito é me divertir com esses shows’, explica Paulão, um dos fundadores das Velhas Virgens.

‘Garçons do Inferno’ foi a primeira coletânea oficial da banda. ‘Não me agrada muito’, revela Paulão. Mas o roqueiro tem curtido o resultado. ‘A primeira (turnê) só com música antiga. A proposta foi essa. Servir para os fãs o que eles querem. É uma coisa legal também. Tem sido divertido’, diz.

Já a proposta dos Workchopps é diferente. ‘Show de rock é para tocar. Mas no Work é para bater papo, contar causos’, explica Paulão, que vê ainda outras vantagens. ‘Também permite tocar em lugares menores e uma aproximação com o público. Tocamos o mesmo repertório dos shows, mas com baixo, gaita e violão. E milhares de histórias que vamos lembrando. E vamos dizendo para as pessoas que dá para viver 30 anos com o rock’n’roll’.

Os Workchopps, inclusive, estão evoluindo para uma nova empreitada. ‘Já tocamos em festa de empresa e estamos construindo um roteiro menos putanheiro para vender um lado de empreendedorismo. Dá para mostrar que você tem uma banda que é só bebedeira e putaria, mas muito organizados. Mostramos um lado empresarial também’, revela.

E, além do rock’n’roll, Paulão ainda ajuda a tocar o bar e a cerveja da banda. ‘Temos o bar. Geralmente estou lá às quinta-feiras. E as cervejas. Também tem isso que preciso dar atenção. Não estou conseguindo parar e olhar. Agora não está dando’, termina.