Colunistas Xandão

Rock ou não-rock? Fim de namoro!

Eles já estavam no encontro número virou-namoro, quando se perdeu a conta há um bom tempo. Havia rolado algumas saídas para jantar. Por sugestão dela comeram hambúrguer ‘desses gourmet’, que ele, por fim, adorou. Por escolha dele, comeram pizza – ela até pegou um pedaço com a mão!

Foram ao cinema, fazendo concessões aqui e ali para acertarem na escolha dos filmes. Mas ele já estava começando a ceder um pouco mais, feliz da vida. Houve ida a parques, um museu, bares, pousada na praia. E, principalmente, baladas e shows. Sempre com o rock’n’roll embalando os encontros.

Curtiam Kasabian, Artic Monkeys, Foo Fighters, Pixies, Pink Floyd, Morrissey, Rush, System of a Down, Beatles, Bad Religion, PJ Harvey, Joe Cocker, The Cure, Rolling Stones, Radiohead, Patti Smith, Iron Maiden, Alabama Shakes, Strokes, AC/DC, Eric Clapton etc etc etc. Ou seja, tudo.

Gostavam de ver bandas ao vivo, das famosas às independentes. E, depois de um show do Autoramas, num fim de ano em São Paulo, saíram para comer. Ela sugeriu um bar. Soube que os sanduíches ali eram uma delícia. Sentaram-se num canto, próximos a uma pequena caixa de som.

Animados, nem notaram a música. Até que num breve momento de silêncio, ela reconheceu um som e começou a balançar o corpo, sem levantar-se de sua cadeira. Ela estava linda, mas algo o incomodou. Perguntou se ela conhecia aquela música.

‘Elis’, respondeu ela. Brevemente, para poder continuar ouvindo. Ele a admirou mais um pouco. Mas continuava incomodado. ‘Elis Regina?’, perguntou, insatisfeito ainda com a intimidade do ‘Elis’. Ela dançou mais um pouco, olhos fechados, não querendo responder e apenas curtir a música.

‘Sim, Elis. Adoro essa música’. Ele nem esperou ela terminar direito. ‘Não sabia que você gostava de MPB’, reprovou. Ela deu de ombros. Esperou a música acabar e chamou o garçom. ‘Que música era essa que estava tocando?’. O rapaz também não sabia, mas saiu para perguntar. ‘Velha Roupa Colorida’, ele disse.

Ela perguntou se poderiam repetir. Em instantes, a música estava de novo na caixa de som. ‘Isso não é MPB’, ela disse. ‘É muito rock’n’roll’. Ele não acreditou no que ouvia. ‘Muito mais do que Going to California que você adora escutar’, acusou, agora o encarando. Era um momento delicado.

Ele não sabia o que fazer. Não queria acreditar no que estava ouvindo. Ficou em silêncio. Apenas observando enquanto ela continuava balando seu corpo, olhos fechados, na cadeira à sua frente. Sentiu-se ridículo ao lembrar que já havia pensado em ‘Going to California’ como música para o casamento.

‘Velha Roupa Colorida’ acabou novamente. Eles olharam-se por um instante. Até que ele se levantou, passou pelo caixa, pagou os únicos dois chopes que haviam pedido e saiu. Ela nem se incomodou em tentar pará-lo.

(‘Velha Roupa Colorida’ é uma música composta por Belchior e que foi lançada no álbum Falso Brilhante, de Elis Regina, em 1976)

Sobre o autor

Xandão

Xandão é zagueiro profissional, roqueiro e jornalista nas horas vagas. Mesmo que essas horas vagas ocupem de 9 a 10 horas por dia em trabalhos por aí, tipo Rádio Globo, UOL, R7 e MSN.