Especial Garimpo Bem Rock

Treino e boa saúde seguram o vocal rasgado da Bogotah

Muito treino e técnica dão força ao som da Bogotah, não apenas nas guitarras, baixo e bateria, mas também no vocal de Renan Lynx. Uma das características de Um Brinde ao Fim do Mundo é justamente a forma rasgada usada pelo músico em boa parte do álbum, o primeiro da banda.

‘Eu sempre gostei muito do vocal rasgado, do vocal forte, por mais que a música seja melódica, a voz às vezes traz essa violência, esse corpo, essa coisa mais agressiva. Eu sempre gostei bastante disso e esse foi um estilo que a banda também procurou’, diz Renan, que antes de assumir o vocal era DJ e tocava sintetizador na banda.

O músico conta que, com o início da Bogotah, passou a se especializar em técnicas para poder manter a mesma pegada nos shows do grupo. ‘Depois que a Bogotah começou eu fiz aula de canto, procurei me aprimorar. E aí eu comecei a aprender técnicas não só de como portar a voz mas também como conseguir passar uma hora, uma hora e meia, cantando com essa técnica, e não perder a voz’.

Uma dessas técnicas é o drive, uma forma de atingir vibrações diferentes nas cordas vocais. ‘As pessoas geralmente falam gutural, na verdade o que eu uso não é o gutural, o que eu uso é o drive de sussuro. Eu uso vários tipos de drive na Bogotah, mas preferencialmente o drive de sussuro, que é uma forma de você atingir notas, mas de uma forma mais rasgada’, explica, citando Phil Anselmo, ex-Pandera, como uma de suas inspirações.

Além da técnica, Renan também explica que mantém uma rotina também fora dos palcos e estúdios para conseguir estar com a voz pronta. ‘Tem várias coisas que inluenciam isso. Não apenas o conhecimento musical, estar sempre treinando, mas ter uma alimentação saudável, fazer atividade física, porque isso faz toda a diferença na saúde vocal de um cantor’, diz.

‘E saber seu limite para o show. Se você está cansado, você tem que pegar leve. Não adianta ser um cara super viceral e não ter voz para o próximo show. Isso também é coisa de experiência’, completa Renan.

O vocal rasgado deve estar presente também no álbum que a Bogotah pretende lançar em 2018, mas não apenas ele. ‘No Brinde eu já usei diferentes tipos de técnica vocal. Também usei a voz limpa, como em Liberdade. Nossa pretensão nesse novo disco é expandir ainda mais a utilização de técnicas vocais. Continuar o que eu já vinha usando, mas também adicionar elementos novos. Vamos gravar uma porção de backing vocals, então todo mundo vai cantar também. Vamos harmonizar muitas vozes, uma coisa mais complexa’, termina o vocalista.